Dúvidas Frequentes
Dúvida

Abdominoplastia

1. A abdominoplastia deixa cicatriz muito visível?

A cicatriz resultante de uma abdominoplastia (ou dermolipectomia abdominal) localiza-se horizontalmente logo acima da implantação dos pelos pubianos (geralmente na mesma linha da cicatriz da cesárea) e prolonga-se lateralmente em maior ou menor extensão, dependendo da extensão da flacidez abdominal a ser corrigida. Esta cicatriz é planejada para ficar escondida sob as roupas de banho ou roupas íntimas e gradualmente vai adquirindo melhor aspecto estético após a cirurgia, chegando a seu resultado definitivo geralmente um ano após a realização da mesma.

2. Quantos quilos vou emagrecer com a abdominoplastia?

Por ser uma cirurgia que retira determinada quantidade de pele e gordura na região abdominal, ocorre redução no peso corporal, que varia de acordo com o volume de abdômen retirado de cada paciente. No entanto, não são os “quilos” retirados que definem um resultado estético agradável e sim as proporções entre o abdômen e o restante do tronco e dos membros.  Muitas vezes, abdomens nos quais são retiradas pequenas quantidades de tecido apresentam resultado estético final excelente, uma vez que existem vários outros detalhes na cirurgia que levam a um bom resultado final.

A maioria das mulheres apresenta diferentes graus de “flacidez” abdominal após um ou vários partos, com predominância de pele sobre a quantidade de gordura localizada na região abdominal. Estes casos permitem excelentes resultados. Em outros casos, nos quais as pacientes estão com excesso de peso, o resultado também será compensatório e proporcional ao restante do corpo, principalmente quando se associa a uma lipoaspiração abdominal. Vale lembrar que o “excesso de gordura” em outras regiões vizinhas ao abdômen ainda existirá, o que leva a aconselhar as pacientes que tentam emagrecer antes da cirurgia, a fim de proporcionar maior equilíbrio corporal e melhor resultado estético.

3. É verdade que será feito um novo umbigo na abdominoplastia?

Não. Na verdade, ocorre um remodelamento do umbigo, muitas vezes melhorando esteticamente seu contorno e seu tamanho ao reposicionar a pele abdominal ao seu redor. Devemos levar em conta que na região interna do umbigo existirá uma cicatriz que sofrerá a mesma evolução da cicatriz abdominal inferior, melhorando gradualmente com o passar dos meses. No entanto, pelo fato de ser uma cicatriz circular, em alguns casos a evolução pode não ser aquela que se deseja, levando a um aspecto considerado “artificial”. Alterações cicatriciais podem ocorrer em qualquer paciente, no entanto são passíveis de tratamento com medicações específicas ou refinamento sob anestesia local.

4. A abdominoplastia corrige o excesso de gordura sobre a região do estômago?

Não necessariamente. O excesso de gordura na região do estômago não é corrigido por uma abdominoplastia simples, cujo objetivo é a retirada de pele e tratamento da flacidez abdominal. Porém, essa situação pode ser corrigida caso seja associada a uma lipoaspiração da região abdominal desejada. É muito frequente a associação da cirurgia de abdominoplastia à lipoaspiração, que pode ser realizada na região abdominal, na cintura, costas, quadril, coxas, braços e demais regiões em que se queira reduzir a quantidade de gordura localizada.

5. Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo da abdominoplastia?

Como em toda cirurgia plástica, o resultado da abdominoplastia é gradual e melhora a cada mês de pós-operatório.  Nos primeiros meses, o abdômen apresenta uma diminuição relativa da sensibilidade, além de estar sujeito a períodos de “inchaço” que regridem gradualmente e espontaneamente. Com o passar dos meses, após iniciados os exercícios físicos e as sessões de drenagem linfática, o resultado definitivo vai sendo gradativamente atingindo.  De maneira geral, pode-se salientar que após 2 meses pelo menos 70% do inchaço já terá regredido e ao final do 6º mês o resultado estará muito próximo do definitivo.  A cicatriz abdominal após o 6º mês ainda vai melhorar de aspecto, porém a coloração e a consistência definitiva só serão atingidas um ano após a cirurgia.

6. Poderei ter filhos após a realização da abdominoplastia? O resultado não ficará prejudicado?

A decisão sobre ter ou não mais filhos cabe a você e seu ginecologista. Quanto ao resultado, sua manutenção pode ou não ser preservada, desde que na nova gestação o peso seja controlado com atividades físicas adequadas e controle alimentar. Caso tenha este cuidado, é possível manter o bom resultado estético da cirurgia prévia ao final da gravidez. Entretanto, é evidente que existe a possibilidade de um ganho de peso maior durante a gestação, levando a uma nova situação de flacidez e excesso de pele na região abdominal. Sendo assim, aconselhamos que as pacientes tenham filhos antes de se submeter a uma abdominoplastia, evitando a possibilidade futura de novas intervenções cirúrgicas.

7. O pós-operatório da abdominoplastia é muito doloroso?

Não. A abdominoplastia de evolução normal não apresenta dor excessiva.  A dor existente após a cirurgia é perfeitamente tratável com analgésicos e anti-inflamatórios convencionais. No entanto, a associação de cirurgias, como lipoaspiração e mamoplastia, pode aumentar a intensidade da dor por terem diferentes regiões do corpo operadas. Mesmo nestes casos, em que se realize a abdominoplastia associada a outras cirurgias, analgésicos mais fortes podem proporcionar tranquilidade à paciente, evitando a possibilidade do aparecimento de dores excessivas.

8. Quais os riscos da cirurgia de abdominoplastia?

Raramente a cirurgia de abdominoplastia (dermolipectomia abdominal) traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos e com todos os cuidados necessários. Isto se deve ao fato de cada paciente ser preparado convenientemente para o ato operatório, contado com exames pré-operatórios, avaliação cardiológica e anestésica, além de ponderações sobre a conveniência da associação desta cirurgia a outras. Outro fato de extrema importância é a busca por um cirurgião plástico habilitado e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica para realizar o procedimento cirúrgico, um profissional qualificado que realizará a cirurgia com todos os detalhes e cuidados necessários à sua boa evolução. Por fim, tão importante quanto os itens anteriores é a realização da cirurgia em um hospital ou clínica de boa qualidade, com todos os recursos necessários para a realização do procedimento e toda a segurança necessária. Sendo assim, a abdominoplastia possui a mesma possibilidade de riscos que qualquer outra cirurgia, como infecções, sangramento, intercorrências anestésicas ou alterações cicatriciais, o que pode ser evitado conforme todos os cuidados listados acima.

9. Que tipo de anestesia é utilizada para a abdominoplastia?

Anestesia geral ou peridural, dependendo da avaliação do médico anestesiologista.

10. Quanto tempo dura o ato cirúrgico?

Em média 3 horas, caso não ocorra a associação de outras cirurgias.

11. Qual o período de internação?

Geralmente, 24 horas em evoluções normais.

12. É utilizado dreno na abdominoplastia?

Sim. O equipamento permanece na paciente, em média, de 2 a 5 dias, dependendo da quantidade de secreção drenada após a cirurgia.