Dúvidas Frequentes
Dúvida

Gluteoplastia de Aumento

1. A gluteoplastia de aumento deixa cicatrizes?

Toda cirurgia deixa cicatrizes, algumas em locais mais visíveis, outras em locais mais camuflados.  Felizmente, a cirurgia de prótese glútea permite que a cicatriz fique em um local bem disfarçado, tornando-a praticamente imperceptível.

2. Onde se localiza a cicatriz?

A cicatriz se localiza no início do sulco interglúteo, prega natural existente entre as nádegas. A cicatriz tem cerca de 5 cm e se localiza na região superior deste sulco, possuindo um resultado muito bom e discreto a longo prazo por estar naturalmente escondida.

3. Como ficará o tamanho e a consistência de minhas nádegas depois de colocadas as próteses glúteas?

Naturalmente, o tamanho das nádegas será aumentado. Além disso, busca-se melhorar a forma e a consistência dos glúteos com o implante das próteses. Após a consulta médica, através de uma série de medidas realizadas em seus glúteos e mantendo o equilíbrio com seu tronco, o cirurgião irá sugerir a prótese com o tamanho e forma mais adequados ao seu corpo. A harmonia entre o volume ideal dos glúteos, o tamanho do tronco e a altura da paciente deve ser preservada ao final da cirurgia. Sendo assim, se uma amiga colocou prótese glútea de determinado tamanho e formato, esta prótese não será, necessariamente, ideal para você.  Como a prótese glútea tem uma consistência maior que a do tecido das nádegas, é esperado um aumento da consistência das mesmas após a colocação das próteses.

4. Posso escolher a forma e tamanho de prótese que quiser?

Cada paciente possui particularidades acerca da consistência, forma e volume das nádegas, assim como proporções entre sua altura, o tamanho do tronco e do quadril.  Diante disso, existem inúmeras combinações possíveis entre formato, volume e tipo de prótese glútea e a ideal para cada paciente será escolhida na consulta médica após minucioso exame físico.

5. Existe risco da prótese de glúteo estourar?

As próteses de glúteo são produzidas com um material extremamente resistente e distensível. Além deste fator, a prótese glútea tem a proteção de uma grande camada de tecido adiposo glúteo e do músculo glúteo máximo, localizados acima da prótese, o que diminui consideravelmente a incidência de ruptura em traumas nesta região. Em casos de ruptura por trauma, a prótese atuaria absorvendo o impacto, ajudando a evitar maiores danos à bacia. Apesar de muito raros, em tais casos as próteses poderiam ser trocadas pela própria cicatriz da gluteoplastia de aumento, sem qualquer sequela à paciente.

6. Caso eu necessite de injeções, elas poderão ser realizadas no glúteo?

Não, após a cirurgia de gluteoplastia de aumento as injeções intramusculares nunca mais poderão ser realizadas nos glúteos. No entanto, isto não traz qualquer malefício, afinal as injeções podem igualmente ser realizadas nos braços e nas coxas com a mesma eficácia.

7. As próteses glúteas ficam localizadas acima ou abaixo do músculo?

A prótese glútea se localiza em um plano abaixo intramuscular, envolvida pelas fibras do músculo glúteo máximo.  Dessa forma, a prótese fica bem protegida pelo músculo e pela camada de tecido adiposo, evitando que seja visualizada externamente e proporcionando um aspecto mais natural à gluteoplastia de aumento.

8. O pós-operatório da gluteoplastia de aumento é doloroso?

Um pouco doloroso, principalmente nos três primeiros dias, devido à distensão muscular provocada pela prótese entre as fibras do músculo glúteo máximo. No entanto, a dor é controlada perfeitamente com analgésicos e anti-inflamatórios comuns, melhorando gradualmente durante a primeira semana após a cirurgia.

9. Quando atingirei o resultado definitivo da gluteoplastia de aumento?

Apesar de resultado imediato ser muito bom, tanto no formato quanto no tamanho dos glúteos, as nádegas atingirão seu resultado definitivo após cerca de 6 meses, quando todo o inchaço terá cedido. No entanto, cerca de 90% do inchaço dos glúteos regride após 3 meses, sendo este o período com maiores mudanças no formato. A regressão do edema deixará os glúteos com um aspecto mais natural e bonito, sendo assim o resultado da cirurgia melhora progressivamente até o 6º mês de pós-operatório.

10. Qual o tipo de anestesia utilizada?

Anestesia peridural ou geral, dependendo de cada paciente e das indicações e contraindicações de cada tipo de anestesia e que será discutido com o anestesista antes da cirurgia.

11. Quanto tempo dura a cirurgia?

A duração média da cirurgia é de 90 minutos. Variações neste tempo podem ocorrer dependendo de cada caso, no entanto a duração da cirurgia dificilmente ultrapassa o período de 120 minutos.

12. Qual o tempo de internação?

Geralmente por 24 horas, independente do tipo de anestesia utilizada.

13. São utilizados drenos na gluteoplastia de aumento?

Quase sempre é utilizado um pequeno dreno que permanece no interior dos glúteos por um período médio de 48 horas. O dreno é importante para evitar o acúmulo de sangue e secreções no interior dos glúteos, diminuindo a incidência de complicações na cirurgia e auxiliando na regressão do edema pós-operatório.

14. Quando serão retirados os pontos da cirurgia?

Geralmente são utilizados pontos internos absorvíveis que não necessitam retirada associados à aplicação de uma cola cirúrgica na parte externa da cicatriz, melhorando a qualidade da mesma e diminuindo o risco de infecção.

15. Quando poderei tomar banho completo?

Normalmente, o banho completo é autorizado 48h após a cirurgia, logo depois de retirar o dreno.

16. Quando poderei realizar atividades físicas?

Geralmente, a paciente é liberada para realizar caminhadas mais leves 3 semanas após a cirurgia. Corridas e ciclismo somente 45 dias após a cirurgia e musculação, 2 meses depois.  Estes períodos são uma média, por isso é importante perguntar ao cirurgião se está habilitada a realizar qualquer tipo de atividade física antes de fazê-la.

17. O que é retração da cápsula da prótese de glúteo?

É uma retração exagerada da cápsula fibrosa (cicatriz interna) que se forma em torno da prótese determinando diferentes graus de endurecimento à região, mais conhecida como “rejeição da prótese”.  Alguns casos podem resultar em retração com diferentes graus de dor nos glúteos e as próteses podem precisar ser retiradas e trocadas. Posteriormente, cirurgião e paciente podem ponderar sobre a conveniência ou não da reintrodução de outras próteses com um diferente plano de introdução ou outra conduta que se adapte melhor ao caso. A retração da cápsula não reflete um problema cirúrgico, mas sim um comportamento reacional exacerbado do organismo devido à presença das próteses de silicone. No entanto, a qualidade das novas próteses de silicone diminui muito a incidência destas retrações nas pacientes. Sua ocorrência atualmente nas próteses glúteas é muito rara, ocorrendo em menos de 2% dos casos. Os leigos costumam chamar de "rejeição" a contratura da cápsula, porém a gluteoplastia de aumento não produz a verdadeira rejeição, afinal o silicone é inerte e não leva à produção de anticorpos.

18. A prótese de glúteo deve ser trocada? Quando?

A prótese glútea sofre um desgaste natural com o tempo, gerando alteração em seu formato. No entanto, devido ao grande desenvolvimento tecnológico da última geração de próteses glúteas, acredita-se que as próteses de hoje deverão ser trocadas geralmente após 20 anos. No entanto, caso após 20 anos as próteses permaneçam com aspecto agradável tanto em sua forma quanto em sua consistência, a troca não é necessária.

19. Como saber se desenvolverei cicatrizes muito visíveis, formando queloides?

A tendência ao desenvolvimento de cicatrizes hipertróficas ou queloides é muito influenciada por fatores genéticos. Em geral, pessoas de pele clara têm menor tendência a esta complicação cicatricial, enquanto pessoas de pele morena ou orientais têm maior predisposição à queloide ou cicatriz hipertrófica. Essa tendência pode ser prevista, até certo ponto, durante a consulta inicial, quando o cirurgião faz uma série de perguntas sobre a vida clínica pregressa da paciente, bem como a análise das características familiares, que muitas vezes ajudam no prognóstico das cicatrizes. De forma geral, o que diminui a incidência destas cicatrizes são cuidados utilizados durante o fechamento das mesmas na cirurgia, como o fechamento meticuloso de toda a cicatriz e a utilização de cola cirúrgica na região externa da mesma.

20. Existe correção para cicatrizes inestéticas nos glúteos?

Hoje em dia, a cirurgia plástica dispõe de vários recursos que permitem não só melhorar tais cicatrizes, como prevenir seu aparecimento. Pomadas e injeções a base de corticoide no local da cicatriz e pequenas placas compressivas de silicone são o principal tratamento, que será instituído pelo cirurgião na época adequada. É importante lembrar que queloides não devem ser confundidas com a evolução normal de uma cicatriz, que mantém um aspecto avermelhado nos primeiros 2 meses e melhora gradualmente com o tempo e que dúvidas a respeito da cicatriz devem ser esclarecidas pelo cirurgião e não por terceiros.

21. A cirurgia de prótese glútea pode ser associada a outras cirurgias plásticas?

Sim. É extremamente comum a associação de outras cirurgias à cirurgia de prótese glútea, principalmente a lipoaspiração. Porém, toda associação deve ser conversada com o cirurgião, pois a possibilidade de associar mais de duas cirurgias não costuma ser recomendada, uma vez que a duração excessiva pode trazer malefícios às pacientes.

22. Qual a melhor cirurgia: prótese de silicone nos glúteos ou aumento com lipoescultura?

Não existe uma resposta certa para esta pergunta, afinal são cirurgias diferentes e com expectativas diferentes. O aumento dos glúteos através da lipoescultura tem limitações, não sendo indicado para glúteos muito pequenos e que necessitam de grandes quantidades de gordura para seu aumento. Isto acontece porque na lipoescultura as células vivas de gordura retiradas de outras regiões do corpo (como flancos e culotes) são implantadas nos glúteos, esperando que as mesmas permaneçam vivas em sua nova localidade. As células que não permanecem vivas são retiradas pelas células de defesa do organismo, levando a uma taxa variável de absorção desta gordura (em média, de 20 a 30% da gordura implantada é absorvida). No entanto, caso grande quantidade de gordura seja implantada nos glúteos, a chance da mesma ser absorvida é maior, provocando menor sobrevivência das células e levando a resultados abaixo da expectativa dos pacientes. Além disso, a enxertia de gordura nos glúteos não aumenta a consistência de gordura dos mesmos, apenas o volume. Por fim, pacientes magras e sem gordura localizada que desejam aumento glúteo, não estão habilitadas a este tipo de cirurgia, já que o material para o aumento (gordura) não existe em quantidade suficiente.

 Já as próteses de silicone glúteas permitem aumentos maiores de volume sem os riscos acima citados da lipoescultura, além de melhorar a consistência dos glúteos. Além disso, quando as próteses são bem escolhidas pelo cirurgião plástico consegue-se formatos mais arredondados nos glúteos, com contorno esteticamente mais agradável.

Dessa forma, percebe-se que para aumentos pequenos nos glúteos e correção de pequenas imperfeições, a lipoescultura está bem indicada. Já para aumentos maiores, em pacientes que também desejam melhorar a consistência dos glúteos, a cirurgia mais indicada é o implante de próteses de silicone.

23. Existem riscos na gluteoplastia de aumento?

Raramente ocorrem complicações sérias na gluteoplastia de aumento, o que é resultado de uma preparação adequada dos pacientes, além da análise da conveniência ou não da associação desta cirurgia a outras.  Os riscos da cirurgia de prótese glútea são os inerentes a qualquer outro procedimento cirúrgico (como sangramento, infecção e cicatrizes inestéticas) e alguns riscos específicos, como a contratura da cápsula glútea explicada acima. No entanto, a escolha de um bom profissional, Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, e a escolha de um hospital ou clínica adequados e bem equipados para o procedimento cirúrgico ajudam a minimizar tais riscos.