Dúvidas Frequentes
Dúvida

Mamoplastia Aumento

1. A mamoplastia de aumento deixa cicatrizes?

Toda cirurgia deixa cicatrizes em nosso corpo, porém algumas são menores e mais escondidas. Este é o caso da cirurgia de prótese mamária, na qual as cicatrizes ficam em locais bem escondidos, além de serem pequenas e de boa qualidade. O tamanho dessa cicatriz é cada vez menor na cirurgia de prótese mamária, medindo entre 3 e 4 cm.

2. Onde se localizam as cicatrizes da cirurgia?

São três locais possíveis para a cicatriz na mamoplastia de aumento.  Pode ser localizada no sulco formado entre a mama e o tórax, no limite externo e inferior da aréola ou até mesmo na axila. Cada cicatriz tem vantagens e desvantagens que devem ser amplamente explicadas pelo cirurgião na consulta.

3. Como saber se desenvolverei cicatrizes muito visíveis, formando queloides?

A tendência ao desenvolvimento de cicatrizes hipertróficas ou queloides é muito influenciada por fatores genéticos. Em geral, pessoas de pele clara têm menor tendência a esta complicação cicatricial, enquanto pessoas de pele morena ou orientais têm maior predisposição à queloide ou cicatriz hipertrófica. Esta tendência, entretanto, não é uma regra absoluta, pois a análise dos antecedentes facilita o prognóstico, mas não o define. A tendência genética influencirá na cicatriz independentemente da localização, seja na mama ou na axila.

4. Existe correção para as cicatrizes inestéticas nas mamas?

Hoje em dia, a cirurgia plástica dispõe de vários recursos que permitem não só melhorar tais cicatrizes, como prevenir seu aparecimento. Pomadas e injeções a base de corticoide no local da cicatriz e pequenas placas compressivas de silicone constituem o principal tratamento, que será instituído pelo cirurgião na época adequada. É válido lembrar que queloides ou cicatrizes hipertróficas não devem ser confundidos com a evolução normal de uma cicatriz, que mantém um aspecto avermelhado nos primeiros 2 meses e melhora gradualmente com o tempo e que dúvidas a respeito da sua cicatriz devem ser esclarecidas pelo cirurgião e não por terceiros.

5. Ouvi falar que existem vários formatos de prótese. Posso escolher a forma e o tamanho que quiser?

As pacientes diferem muito em relação ao tamanho, forma, consistência e simetria das mamas. Então não é porque uma amiga ou uma atriz conhecida colocou uma prótese de determinado formato e tamanho que necessariamente você poderá colocar a mesma prótese. Uma prótese mamária de 275 ml pode ser ideal para uma paciente de 1,65m, mas pode ser grande para uma outra paciente de 1,50 e biótipo magro, com tórax estreito. Após um exame físico minucioso, realizado com várias medidas da mama e do tórax, o cirurgião indicará a forma e o tamanho mais adequado da prótese a ser utilizada em você, permitindo um resultado agradável e proporcional a seu corpo.

6. É possível escolher o tamanho de minha prótese baseado apenas em meu peso e altura?

Certamente não, pois existem muitas variáveis utilizadas para o cálculo da prótese ideal em cada paciente. Além do peso e altura do paciente, levamos em consideração o tamanho do tórax, a elasticidade da pele das mamas, a distância existente entre as mamas, o tamanho atual das mamas e a expectativa do paciente em relação ao aumento. Todas estas medidas são calculadas em um exame físico minucioso realizado durante a consulta médica. Sendo assim, se sua amiga tem 1,65m de altura, 55 kg e ficou muito satisfeita com uma prótese mamária de 275 ml, talvez este tamanho não seja ideal para você. Isso demonstra que nada substitui um exame físico detalhado e uma consulta médica bem feita para a decisão final no tamanho da prótese.

7. Como ficarão minhas mamas em relação ao tamanho e consistência após a cirurgia?

As mamas certamente terão o volume aumentado após a cirurgia de prótese mamária. Outro objetivo da cirurgia é melhorar a forma e consistência das mesmas. Hoje em dia dispomos de mais de dez tipos diferentes de formatos de prótese mamária, além de uma grande variação de tamanhos. Outra variação existente é quanto ao tipo de material existente na superfície da prótese (lisa ou texturizada) e ao revestimento interno da mesma (espuma de poliuretano ou silicone altamente coesivo). Existem indicações para cada um desses tipos, o que será explicado pelo cirurgião durante a consulta. O que deve ser preservado, no entanto, é a harmonia existente entre o tamanho do tórax, a altura da paciente e o volume ideal das mamas. Quanto à consistência, a da prótese mamária é maior que a do tecido mamário normal, sendo assim, pacientes com pouca glândula mamária (a chamada hipomastia) apresentarão um aumento de consistência de suas mamas após a cirurgia de implante mamário.

8. Minha prótese de mama pode estourar?

As próteses mamárias existem há mais de 30 anos e evoluíram muito nos últimos anos, tornando as atuais muito mais resistentes e distensíveis que os primeiros modelos. Sendo assim, um trauma torácico para estourá-las teria que ser forte o suficiente para quebrar costelas e provocar danos pulmonares. Caso isto aconteça, na maioria das vezes, o fabricante providencia outra prótese ao paciente sem custos e a cirurgia de troca do implante pode ser realizada pela mesma cicatriz prévia.

9. Se eu ficar grávida o resultado permanecerá ou poderá ser prejudicado?

A manutenção do resultado depende de uma série de fatores. Certamente um dos principais aspectos é o ganho de peso obtido durante a gestação. Ganhos de peso exagerados durante a gravidez (acima de 15 kg) provocarão a distensão da pele mamária e após o emagrecimento esta pele pode ou não voltar ao seu aspecto prévio. A lactação (amamentação) também auxilia nesta distensão mamária. Caso a pele mamária não retorne ao seu aspecto original, pode ocorrer a ptose (queda) das mamas em maior ou menor grau, dependendo da distensão a qual a pele foi submetida. A orientação do cirurgião em uma futura gravidez ocorre com o acompanhamento nutricional adequado que permita a você ganhar apenas o peso suficiente durante a gestação (uma média de 7 a 10kg) e seguir cuidados de rotina com sua pele mamária, utilizando hidratantes e cremes específicos para evitar a formação de estrias e manter a consistência normal da pele. Quanto à prótese mamária, não sofre qualquer alteração em formato e consistência com a gravidez ou amamentação.

10. A prótese mamária pode interferir na amamentação?

Geralmente não. A prótese mamária pode ser colocada abaixo do músculo ou logo abaixo da glândula mamária e em ambas as situações não existe interferência no crescimento mamário durante a gravidez e amamentação. O que pode ocorrer é uma pequena diminuição na eficiência da lactação nas cirurgias com cicatriz na aréola, uma vez que nesta situação ocorre lesão de alguns ductos mamários para permitir a colocação da prótese. No entanto, mesmo nesta cicatriz dificilmente ocorre uma diminuição significativa que impeça a lactação em uma gestação futura.

11. Quando atingirei o resultado definitivo após a cirurgia? E o inchaço, demora muito a regredir?

O resultado imediato da mamoplastia de aumento é muito bom, no entanto somente no período tardio (após cerca de 6 meses) é que as mamas atingirão sua forma definitiva com a regressão de todo o inchaço operatório. No entanto, a maior parte do edema (cerca de 90%) regride cerca de 2 meses após a cirurgia de colocação de próteses mamárias. A regressão do edema deixa as mamas com um aspecto mais natural e bonito, sendo que o resultado da cirurgia melhora progressivamente até o 6º mês de pós-operatório.

12. O pós-operatório da cirurgia de prótese mamária é doloroso?

Em geral não. Seguindo as orientações médicas, principalmente com relação à restrição de movimentos nos braços nas primeiras duas semanas, a dor pós-operatória da cirurgia de prótese mamária é muito discreta e cede facilmente com analgésicos comuns. Porém, é importante reforçar que existem variações entre os pacientes e entre as cirurgias, por exemplo, a prótese mamária colocada abaixo do músculo é um pouco mais dolorosa que a colocada acima, mas mesmo esta dor, em geral, é perfeitamente contornada o uso de analgésicos comuns.

13. Existem alterações de sensibilidade nas mamas após a mamoplastia de aumento?

Pode ocorrer pequena diminuição de sensibilidade nas mamas após a cirurgia, no entanto ela é temporária e tende a regredir à normalidade em um período de até 6 meses. No entanto, existem variações individuais entre os pacientes e esta diminuição pode não acontecer ou ser um pouco mais pronunciada em alguns casos.

14. Qual o tipo de anestesia utilizada?

Na grande maioria dos casos, anestesia peridural, em alguns casos, anestesia geral. As indicações das anestesias, suas vantagens e desvantagens serão especificadas pelo anestesista em uma consulta realizada previamente à cirurgia.

15. Quanto tempo dura a cirurgia?

A duração média da cirurgia é de 90 minutos. Variações neste tempo podem ocorrer dependendo de cada caso, no entanto a duração da cirurgia dificilmente ultrapassa o período de 120 minutos.

16. Por quanto tempo ficarei internada?

Normalmente, por 24 horas, independente do tipo de anestesia utilizada. Em algumas situações, menos de 24 horas, como em casos de pacientes que operam de manhã e a tarde podem receber alta hospitalar.

17. São usados drenos na cirurgia de prótese mamária?

Quase sempre é utilizado um pequeno dreno que permanece no interior das mamas por um período médio de 24 horas, em geral sendo retirado antes da alta hospitalar. O dreno é importante para evitar o acúmulo de sangue e secreções no interior da mama, diminuindo a incidência de complicações na cirurgia e auxiliando na regressão do edema pós-operatório.

18. Quando poderei realizar atividades físicas?

Caminhadas mais leves podem ser realizadas após 3 semanas da cirurgia. Corridas e ciclismo, somente um mês após a cirurgia e musculação, 2 meses depois.  Estes períodos são uma média e por isso é importante perguntar ao cirurgião se está habilitada a realizar qualquer tipo de atividade física antes de fazê-la.

19. Quando poderei dirigir?

Caso o carro tenha direção hidráulica, 3 semanas após a cirurgia você já está apta a dirigi-lo. Em carros com direção normal, o esforço excessivo para virar o volante pode forçar a cicatriz e provocar descolamentos da prótese. Por isso, o recomendado seria voltar a dirigir após 1 mês. Dirigir motos e bicicletas é permitido 1 mês após a cirurgia, desde que com a utilização do sutiã cirúrgico e mantida certa cautela na direção.

20. Qual a melhor localização para minha prótese: na frente ou atrás do músculo?

Depende de cada paciente. Existem indicações para colocar a prótese na frente ou atrás do músculo e essas devem ser discutidas durante a consulta. Em geral, quando as próteses são localizadas à frente do músculo o resultado tende a ser mais natural, com melhor aspecto estético. No entanto, em pacientes muito magras, com pele muito fina ou quantidade de tecido mamário muito pequena, a localização atrás do músculo é mais indicada, pois ele funciona como uma proteção para a prótese, impedindo que a mesma fique superficial e palpável nas mamas. A melhor localização vai depender do aspecto das suas mamas e deve ser discutida com o cirurgião plástico durante a consulta.

21. Por quanto tempo terei que utilizar o sutiã cirúrgico (malha)? E quando poderei voltar a tomar sol?

É recomendado que o sutiã cirúrgico seja utilizado por pelo menos 1 mês após a cirurgia, pois ele diminui o inchaço das mamas e protege as cicatrizes, o que não acontece com os sutiãs convencionais com aro. No 2º mês é permitido alternar períodos utilizando o sutiã cirúrgico e sutiãs sem aros, assim como períodos curtos sem utilizar o sutiã, dependendo da avaliação do cirurgião.

Quanto ao sol, o ideal é que o paciente se proteja por pelo menos 3 meses. Durante este período, a cicatriz mamária ainda preserva um avermelhamento local, o que é totalmente esperado e regride espontaneamente conforme ela vai amadurecendo. Caso o paciente se exponha ao sol sem proteção solar adequada, a cicatriz poderá adquirir um aspecto mais escurecido (hipercromia) e não apresentará um resultado estético agradável. Mesmo após o 3º mês, o ideal é que o paciente aplique protetor solar fator 50 no local da cicatriz sempre que tomar sol, pois mesmo escondida pela roupa de banho existe ação de raios solares na cicatriz mamária, o que não ocorre com a aplicação do protetor.

22. O que é a retração da cápsula da prótese de mama (contratura) que ocorre em alguns pacientes?

É uma retração exagerada da cápsula fibrosa (cicatriz interna) que se forma em torno da prótese, determinando diferentes graus de endurecimento à região, quando palpada, mais conhecida como “rejeição da prótese”.  Alguns casos podem sofrer retração com diferentes graus de dor nas mamas e se isto ocorrer as próteses podem ser retiradas e trocadas. Posteriormente, cirurgião e paciente, podem ponderar sobre a conveniência ou não da reintrodução de outras próteses com um diferente plano de introdução ou outra conduta que melhor se adapte ao caso. A retração da cápsula não reflete um problema cirúrgico, mas sim um comportamento reacional exacerbado do organismo devido à presença das próteses de silicone. No entanto, atualmente a qualidade das novas próteses de silicone diminui muito a incidência destas retrações nas pacientes. Sua ocorrência gira em torno de 3% dos casos. Os leigos costumam chamar de "rejeição" a contratura da cápsula, porém a mamoplastia de aumento não produz a verdadeira rejeição, afinal o silicone é inerte e não leva à produção de anticorpos.

23. Vou precisar trocar minhas próteses depois de alguns anos?

Esta certamente é uma das principais dúvidas das pacientes em cirurgias de prótese mamária. Antigamente, as próteses mamárias possuíam um material de qualidade bem inferior, sendo a superfície da prótese mais grosseira e sujeitando o organismo a maiores riscos de resultados insatisfatórios, como a retração capsular. Invariavelmente, depois de 7-8 anos, as próteses perdiam sua forma e tamanho originais, necessitando ser trocadas pelo cirurgião. Hoje em dia, com o avanço da Medicina e da Cirurgia Plástica, possuímos próteses mamárias de qualidade bem maior, com riscos cada vez menores de complicações. Alguns fabricantes informam que após 12-15 anos as próteses podem ter alguma alteração em seu formato, no entanto a prática diária mostra que as últimas gerações de próteses permanecem, na maioria dos casos, mais de 15 anos sem grandes alterações. Em resumo, após 12-15 anos é maior a chance das próteses mudarem de formato, o que pode ou não acontecer, dependendo de cada paciente. O que ocorre é que após cerca de 15 anos a mama naturalmente sofre alterações condizentes com a idade do paciente, tais como diminuição em seu volume e flacidez da pele e muitas procuram novamente o cirurgião no intuito de corrigir tais alterações (seja mudando o formato ou tamanho da prótese ou realizando uma retirada de pele). Sendo assim, mesmo com a prótese mamária sem alteração em seu formato ou tamanho, muitas vezes o paciente opta por trocá-la na tentativa de reverter as alterações provocadas pelo tempo.

24. Quando serão retirados os pontos?

Na grande maioria dos casos, o paciente não tem qualquer ponto externo, apenas pontos internos seguidos da aplicação de uma cola cirúrgica (Dermabond) na pele. Esta cola, além de melhorar o aspecto estético da cicatriz, permite uma impermeabilização da mesma, diminuindo o sangramento e o risco de infecção após a cirurgia. Caso a cirurgia seja realizada pela aréola, alguns pontos podem ser dados externamente e retirados após o 5º dia de cirurgia.

25. A mamoplastia de aumento corrige a flacidez das mamas?

A prótese de mama aumenta o volume da mama e, consequentemente, promove certa distensão na pele da mesma. Em casos de pequenos excessos de pele, a prótese de mama permite a correção dessa pequena flacidez. No entanto, em casos de grande flacidez e queda da mama (ptose) é necessário retirar pele e reposicionar a mama em seu local anterior (mastopexia), podendo ser associada ou não à colocação de uma prótese mamária para aumentar o volume mamário, permitindo maior consistência às mamas.

26. Posso associar outra plástica à prótese de mama?

Sim. É extremamente comum a associação de outras cirurgias à cirurgia de prótese mamária, principalmente a lipoaspiração. Outras associações bem frequentes são com a rinoplastia e abdominoplastias. Toda associação deve ser questionada ao cirurgião, sendo que a possibilidade de associar mais de duas cirurgias não costuma ser recomendada, pois a duração excessiva pode trazer mais malefícios que benefícios às pacientes.

27. Existe rejeição à prótese de mama?

Não existe rejeição à prótese mamária. A rejeição na Medicina ocorre quando há formação de anticorpos contra células transplantadas de um ser vivo diferente (por exemplo, em um transplante de fígado). O silicone, por ser inerte, não provoca a formação de anticorpos e não sofre rejeição. O que se chama habitualmente de rejeição da prótese de mama, na verdade, corresponde à contratura da cápsula mamária, formada ao redor da prótese.

28. Existem riscos na mamoplastia de aumento?

Raramente ocorrem complicações sérias na mamoplastia de aumento. Isto ocorre em decorrência da preparação adequada dos pacientes, além da análise sobre a conveniência ou não da associação desta cirurgia a outras.  Os riscos da cirurgia de prótese mamária são os inerentes a qualquer outro procedimento cirúrgico (sangramento, infecção, cicatrizes inestéticas) e alguns riscos específicos, como a contratura da cápsula mamária. No entanto, a escolha de um bom profissional, Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e a escolha de um hospital ou clínica adequados e bem equipados para o procedimento cirúrgico ajudam a minimizar tais riscos.