Guia de cuidados operatórios

CUIDADOS PRÉ-OPERATÓRIOS

1. Antes da cirurgia, o paciente deve informar a equipe médica sobre:

  • Gripes, dores de garganta, febre, tosse, diarreia, dificuldade para urinar, gastrite, alterações na pressão prévias à cirurgia e outras doenças; 
  • Predisposição à queloide; 
  • Histórico de alergias gerais;
  • Medicamentos utilizados (anticoncepcional, ginko biloba, anticoagulantes, arnica, anti-inflamatórios, suplementos, remédios para emagrecer etc);
  • Tabagismo e uso de drogas ilícitas.      

2. Cuidados básicos no período que antecede a cirurgia:

  • Evitar o consumo de bebidas alcóolicas, no mínimo, 14 dias antes da cirurgia;
  • Suspender o uso do anticoncepcional 30 dias antes do procedimento e retomar 30 dias depois da cirurgia ou conforme orientação médica. Enquanto isso, usar outros tipos de contraceptivos, como o preservativo;
  • Interromper o tabagismo, no mínimo, 30 dias antes da cirurgia e até 30 dias depois do procedimento, evitando riscos de infecções, necroses, cicatrização inestética etc;
  • Manter a hidratação corporal para evitar estrias;
  • Retirar esmaltes de cores escuras, metais (como alianças e brincos) e absorventes internos;
  • Depilar as regiões pubianas e/ou axilas, conforme a cirurgia a ser realizada. 

3. Alimentação:

  • Consumir alimentos leve na véspera da cirurgia; 
  • Manter jejum absoluto de líquidos e sólidos 10 horas antes do procedimento.

4. Medidas essenciais antes da cirurgia: 

  • Certificar a ativação do plano de saúde, caso o tenha; 
  • Agendar as drenagens linfáticas pós-operatórias com profissional especializado de sua confiança;
  • Repassar ao profissional o contato da enfermeira da equipe de cirurgia e pedir que ele envie fotos diárias das regiões operadas;
  • Comprar o kit cirúrgico de acordo com a cirurgia a ser realizada;
  • Não usar hidratante corporal no dia da marcação da cirurgia. 

5Exames

Os exames se resumem à avaliação cardiológica, de sangue e urina. No caso de cirurgia de mama, o exame de mamografia (e/ou ultrassonografia) é indispensável, pois a mama precisa ser analisada previamente à cirurgia. O cirurgião também pode solicitar o exame de radiografia do tórax em caso de risco cirúrgico. 

6. Acessórios

As malhas compressivas são utilizadas em várias cirurgias e há modelos específicos para cada tipo de procedimento.

As meias elásticas são calçadas no paciente antes do início do procedimento cirúrgico e são indispensáveis como medida preventiva contra a ocorrência da trombose venosa profunda. Nas cirurgias de mama, por sua vez, é necessário usar o sutiã especial, sem aro de metal, para não ferir os locais dos pontos.

7. KIT HOSPITALAR

7.1. O paciente deve levar para o hospital: 

  • Documentos pessoais;
  • Exames realizados e de risco cirúrgico;
  • Objetos de uso pessoal (escova de cabelo e de dente, roupas leves e de fácil colocação, como camisola de abotoar, chinelo etc);
  • Malhas cirúrgicas;
  • Meia compressiva;
  • Acerto do hospital, anestesia e aluguel da bota cirúrgica (não aceitam cheque). 

7.2. Curativos e prescrições de medicamentos aos cuidados da enfermagem. 

8. KIT CIRÚRGICO

1. RINOPLASTIA

  • Média de 4 pacotes de gaze; 
  • 2 rolos de fita micropore fino (12,5mmX10m) na cor bege e, de preferência, da marca 3M;
  • 1 frasco de álcool 70%;
  • Receita médica entregue no dia da alta hospitalar;
  • Meia compressiva que deve ser usada por 15 dias, conforme orientação médica; 
  • Clexane injetável, que deve ser usada com dosagem e quantidade de acordo com a orientação médica.

2. ABDOMINOPLASTIA

  •  2 jogos de modeladores pós-cirúrgicos;
  • 1 jogo de talas;
  • Média de 8 pacotes de gaze; 
  • 2 rolos de fita micropore;
  • 1 frasco de álcool 70%;
  • Travesseiro triângulo/encosto; 
  • Órtese para o umbigo;
  • Clexane injetável, que deve ser usada com dosagem e quantidade de acordo com a orientação médica;
  • Receita médica entregue no dia da alta hospitalar. 

3. PRÓTESE MAMÁRIA

  • 2 sutiãs pós-cirúrgicos;
  • 1 faixa elástica para implante mamário;
  • Média de 8 pacotes de micropore;
  • 1 frasco de álcool 70%; 
  • Clexane injetável, que deve ser usada com dosagem e quantidade de acordo com a orientação médica;
  • Receita médica entregue no dia da alta hospitalar. 

9. Cicatrizes e queloides

Todo corte gera uma cicatriz. Algumas se tornam imperceptíveis com o passar dos anos e outras são visíveis e, às vezes, acentuadas, formando um queloide, nome empregado para denominar uma super cicatriz. O queloide é algo que o organismo desenvolve, sendo próprio da genética humana, e por isso o médico não tem como evitar ou garantir que ele não aparecerá.

Caso o paciente tenha tendência a queloide, existem procedimentos que podem minimizar o problema. O indicado é o tratamento à base de radioterapia, que deve ser planejado pelo médico radioterapeuta e iniciado após a cirurgia plástica, em até 24 horas. Além disso, após a cirurgia plástica as cicatrizes ficam protegidas por fita adesiva cirúrgica durante 30 dias, aproximadamente, e depois desse período inicia-se o uso de gel e/ou placa de silicone por seis meses. 

10. Tratamentos com radioterapia

De caráter preventivo, o tratamento com radioterapia consiste na emissão de energia para a pele, com radiação superficial e de baixa potência. O procedimento é simples, feito de forma ambulatorial, em oito sessões realizadas diariamente. Cada sessão dura, no máximo, cinco minutos e a possibilidade de efeito colateral é pequena.

Dentre os cuidados necessários, um dos mais importantes é ingerir bastante líquido. Durante as sessões não se faz curativo, sendo colocada apenas uma gaze entre a pele e a roupa do paciente para proteger o local da cirurgia.

CUIDADOS OPERATÓRIOS

1. Condutas e procedimentos

A equipe do cirurgião plástico e do hospital  acompanharão o paciente durante todo o período de internação. Sob a coordenação do médico, uma equipe multidisciplinar, formada por médicos de outras especialidades, enfermeiros e técnicos de instrumentação cirúrgica, participa da cirurgia.

2. Medidas preventivas

Ao entrar para a sala de cirurgia, uma das primeiras medidas tomadas pela equipe é calçar a meia antitrombótica no paciente. Durante o procedimento, são feitas as profilaxias química e mecânica da trombose venosa profunda (trombos, coágulos): a primeira com uso de medicamentos e a segunda com massagem nas pernas, utilizando aparelho específico para esse fim.

3. Acompanhamento ao paciente

Após a cirurgia, o paciente é encaminhado à sala de recuperação, onde fica até se restabelecer da anestesia. Depois disso, é levado para o quarto.

Para evitar infecção e manter um ambiente propício à recuperação, o ideal é restringir as visitas, principalmente no primeiro dia, permanecendo no quarto apenas um acompanhante. Além disso, durante o período de internação é essencial que a equipe médica e o acompanhante adotem todos os cuidados de higiene imprescindíveis ao ambiente hospitalar.

 

CUIDADOS PÓS-OPERATÓRIOS

1. Primeiras horas:

As primeiras horas após a cirurgia são as mais delicadas, por isso é importante que o paciente mantenha repouso e dorma ao máximo, afinal o sono é um poderoso relaxante. Também é importante que qualquer movimento com o corpo seja lento e cercado de cuidados.

2. Exercícios de fisioterapia:

Para prevenir complicações pulmonares, são prescritos exercícios respiratórios que devem ser feitos com o aparelho de fisioterapia e iniciados após a cirurgia. Fisicamente, o paciente deve movimentar os pés, flexionando-os para frente e para trás, alongando a panturrilha. A movimentação ativa deve ser feita pelo paciente e o acompanhante pode ajudar com a movimentação passiva.

Os exercícios devem ser repetidos pelo menos três vezes ao dia porque auxiliam na circulação do sangue, evitando dores e a formação de trombos.

3. Banho:

O primeiro banho deve ser em casa, 48 horas depois da cirurgia. Os pacientes que se submeterem à cirurgia de orelha em abano não podem lavar o cabelo, mas os demais estão liberados para tomar banho por inteiro, inclusive os que fazem cirurgia da face. Nas cirurgias de mama, o paciente deve recolocar o sutiã logo após sair do banho.

4. Cuidados após a cirurgia:

  • Fazer curativos diários enquanto tiver pontos ou conforme orientação médica;
  • Após o banho, secar os pontos da cirurgia com secador em temperatura fria para manter a fita que os protege sempre seca; 
  • Ter atenção para não retirar o dreno acidentalmente;
  • Usar a meia compressiva, no mínimo, por 15 dias, seguindo orientação médica. 

5. Alimentação:

No primeiro dia após a cirurgia, a alimentação deve ser leve e à base de líquidos, como caldo, sopa, água de coco e bebidas isotônicas. Além disso, é indicado ingerir 2 litros de água por dia e ter o acompanhamento de nutricionista. 

6. Alterações pós-operatórias

Após a cirurgia, é comum aparecerem alterações na pele, como o seroma (líquido na região operada). Para evitá-lo, diminuir o inchaço no corpo e o tempo de recuperação, é indicado ao paciente comer clara de ovo, que contém grande quantidade de albumina, substância que previne essas alterações.

7. Cuidados básicos

  • Atividade sexual: liberada 15 dias após a cirurgia, evitando compressão sobre o abdômen e as mamas;
  • Depilação: aguardar 45 dias e fazê-la dois dedos acima da cicatriz cirúrgica;
  • Exposição solar: de preferência, 3 meses após a cirurgia, sempre com uso de protetor solar em todo o corpo, especialmente nas cicatrizes; 
  • Abdominoplastia: andar encurvada por 10 dias ou conforme orientação médica;
  • Cirurgia da mama: elevar os braços apenas 30 dias depois do procedimento, lavar os cabelos com xampu neutro 3 dias depois da cirurgia e sem elevar os braços normalmente; 
  • Atividades físicas: exercícios leves, como caminhada, são liberados 30 dias depois da cirurgia. Os demais exercícios são liberados depois de 90 dias e o paciente não deve usar modeladores durante as práticas. 
  • Subir escadas: liberado tranquilamente após 30 dias. Depois de retirar os pontos, o paciente deve subir com cautela; 
  • Dirigir: liberado 30 dias depois do procedimento, nos casos de cirurgia na mama e abdômen;
  • Dormir: é indicado deitar de lado nos primeiros 30 dias para evitar dores nas incisões cirúrgicas e deslocamento de prótese, quando for o caso. 
  • Modelador: usar continuamente até o 3º mês após a cirurgia. 
  • Dreno: observar a coloração e a quantidade de secreção drenada. A retirada é feita entre o 5º e o 8º dia após a cirurgia, conforme orientação médica;
  • Retornos ao consultório: entre 5 e 7 dias após o procedimento, sendo agendado com a secretária;
  • Seguir corretamente o uso da receita e as orientações do médico. Em caso de dúvidas, comunicar a equipe médica responsável.
Imprimir