Acompanhe as novidades

Ginecomastia: causas e procedimentos

Publicado em 17/05/2017Ginecomastia: causas e procedimentos

A ginecomastia consiste no aumento benigno nas glândulas mamárias masculinas, desenvolvidas ou naturalmente grandes, e deve-se ao aumento de tecido mamário e não ao excesso de gordura.

Causas da ginecomastia 

As causas podem estar relacionadas com desequilíbrios hormonais, problemas no fígado e na tireoide. Além disso, o uso de alguns medicamentos, como o espironolactona, usado para o tratamento da hipertensão arterial, e os benzodiazepínicos, que são remédios psicoativos, podem influenciar no aumento das glândulas mamárias.

 

A ginecomastia pode ocorrer em pessoas de todas as idades, inclusive em recém-nascidos, como resultado da reação causada, principalmente, pelo contato com o estrogênio da mãe durante a gestação.

 

Em adolescentes, o problema pode ocorrer durante a puberdade, especialmente por volta dos 14 anos de idade, e pode afetar somente uma ou as duas mamas. Nesse caso, a condição é provocada por um aumento tardio na quantidade de testosterona em relação à quantidade de estrogênio.

Em adultos, pode estar relacionado com a queda de testosterona no organismo causada por diversos fatores, tais como:

  • Quimioterapia;
  • Doença hepática crônica;
  • Anabolizantes;
  • Insuficiência renal;
  • Falta de testosterona no organismo;
  • Tratamento com radiação nos testículos;
  • Efeitos colaterais de medicamentos;
  • Hipertireoidismo;
  • Tumores;
  • Câncer de mama, raro em homens.

Procedimento cirúrgico 

Dependendo do paciente e do grau de ginecomastia, o tratamento pode ser realizado apenas com a lipoaspiração, que faz furos abaixo das mamas e também nas axilas, melhorando o tamanho da mama e o contorno do tórax. Em casos onde é necessário retirar a glândula remanescente, é feita a incisão do tipo “Webster” na aréola.

Já os casos mais graves, em que as mamas ficam flácidas e a aréola alargada e com pele escura ao redor do mamilo, o procedimento corrige o tamanho da aréola cirurgicamente e a pele em excesso é retirada, melhorando a estética.

 

Pós-operatório e resultado da ginecomastia 

Após a cirurgia, é necessário usar um curativo para cobrir as incisões, além da bandagem elástica, que pode ser usada para diminuir o inchaço e dar sustentação à mama operada. O paciente deve usar o colete elástico por cerca de 30 a 45 dias e tomar os antibióticos e anti-inflamatórios.

Os resultados da ginecomastia dependem de fatores individuais, porém o resultado definitivo é visto entre 6 meses e 1 após o processo cirúrgico.

Para mais informações sobre o procedimento, entre em contato e agende sua consulta com o Dr. Fleury.